Aldair sai e novo titular tem nove meses para viabilizar projetos



O novo titular da secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), general Eliéser Girão Monteiro Filho terá pouco mais de nove meses para viabilizar os projetos que seu antecessor, o ex-secretário Aldair da Rocha, não conseguiu implantar em três anos à frente da secretaria. Ontem, o gestor exonerado fez um balanço da administração e elencou a falta de investimentos e prioridade por parte do Governo do Estado para explicar o fracasso em pelo menos doze projetos de segurança pública

Em tom de desabafo e diante do secretário de Comunicação do Estado, Paulo Araújo, Aldair da Rocha também afirmou que está frustrado e chateado por não conseguir entregar um dos principais projetos pensado para o enfrentamento da criminalidade no Estado: a Divisão de Homicídios. “Saio chateado e com uma frustração porque não consegui implantar alguns projetos. A Divisão de Homicídios era um dos principais objetivos quando cheguei aqui, mas, infelizmente, não foi possível”, disse.

 

O ex-secretário explicou que não teve apoio suficiente da administração estadual para viabilizar os projetos existentes. O investimento estadual para a pasta minguou nos últimos três anos chegando ao ponto de, no ano passado, o Governo do Estado não investir um único centavo no setor. “Não tivemos nenhum investimento ano passado. Foi zero”, disse Rocha ao apresentar as planilhas de receitas e despesas ao longo do triênio que ocupou a cadeira mais importante do sistema de segurança do Estado.

 

Além da Divisão de Homicídios, a Sesed não emplacou projetos importantes como a “Ronda Cidadã”, interiorização do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) e expansão das unidades de inteligência. A maioria dos planos necessidade da convocação de novos homens para as polícias civil, militar, além do Corpo de Bombeiros e Instituto Técnico-Científico (Itep). Nesse ponto, os avanços foram tímidos. “Alegando sempre o problema da Lei de Responsabilidade Fiscal [LRF] e o limite prudencial, não podíamos convocar policiais ou realizar concurso público”, lembrou.

 

Sem investimento estadual e com o limite prudencial batendo à porta da Sesed, a alternativa para tentar viabilizar os projetos da pasta foi buscar parcerias com o Governo Federal. Nesse contexto, surgiu o programa “Brasil Mais Seguro”. De acordo com o ex-secretário, graças a convênios assinados através do programa, as ações planejadas, mas não executadas, serão viabilizadas nos próximos meses. “E isso é um desafio para o novo secretário. Estamos a menos de cem dias para Copa e é preciso fazer muita coisa. Deixamos os trabalhos adiantados. Os convênios foram assinados e, como cidadão, vou cobrar as melhorias”, contou.

 

Mas nem todos os recursos assegurados junto ao Governo Federal foram utilizados no Estado. Nos últimos três anos, a Sesed devolveu ao Ministério da Justiça pouco mais de R$ 12 que deveriam ser traduzidos em melhorias estruturais das unidades policiais, por exemplo.

 

Ainda na análise do tempo que passou à frente da Sesed, Aldair reconheceu que pouca coisa mudou. Para confirmar a informação, o ex-secretário entregou aos jornalistas que participaram da entrevista coletiva na manhã de ontem cópia de uma entrevista dele publicada na TRIBUNA DO NORTE no dia primeiro de dezembro de 2012.  Naquela ocasião, o ex-gestor informava a necessidade de pelo menos R$ 80 milhões para a pasta e falava sobre as dificuldades na secretaria. “Impressionante como a entrevista, apesar de ser de 2012, continua valendo hoje”, disse.

 

Saída esperada

 

A saída de Aldair da Rocha da Sesed já era aguardada desde que ele se filiou, em outubro passado, ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). O ex-secretário deverá disputar uma vaga para a Assembleia Legislativas nas eleições de outubro. Segundo o calendário eleitoral, ocupantes de cargos públicos têm até o dia 5 de abril para cumprir o prazo de desincompatibilização. “Saí antes porque a governadora já tinha alertado sobre a desincompatibilização ainda em janeiro. Outro fator que contribuiu para antecipação é a Copa do Mundo. O novo secretário terá pouco tempo para cuidar desse ponto”, disse.

 

A exoneração de Aldair da Rocha foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) de ontem. Assume a vaga deixada por ele o general de Brigada da Reserva do Exército Brasileiro, Eliéser Girão Monteiro Filho. A posse do novo gestor está marcada para a próxima sexta-feira. No entanto, desde ontem o general está na Sesed conhecendo seu novo ambiente de trabalho. “Ainda estou conhecendo a secretaria. Já morava em Natal e recebi esse convite. Quero fazer amigos na secretaria”, disse.

 

A reportagem fez outros questionamentos ao novo secretário, mas ele afirmou que vai conversar com a imprensa somente após a posse.

 

 

 

Fonte: Tribuna do Norte



Postado em: 12/03/2014

<< Voltar

Associação dos Delegados de Polícia Civil do Rio Grande do Norte - ADEPOL-RN
Rua João XXIII, nº 1848 - Mãe Luiza - Tel.: (84) 3202.9443 - Natal/RN
E-mail: adepolrn@gmail.com